Candidato à Presidência pelo PCB estará em Foz nesta quarta

PCB Foz 6 de agosto de 2014 Comentários
Candidato à Presidência pelo PCB estará em Foz nesta quarta

O candidato à Presidência da República pelo PCB, Mauro Iasi, estará em Foz do Iguaçu nesta quarta-feira, dia 6 de agosto. O presidenciável vem a fronteira para cumprir atividades políticas, entre elas encontros com trabalhadores e ministrar debates sobre educação pública.

O PCB participa das eleições de 2014 com o objetivo principal de contribuir para o debate em torno de uma alternativa socialista, a partir das demandas populares mais sentidas e que se chocam com o capital.

O Partidão afirma não ter ilusão de classe. “Embora a democracia burguesa, pela experiência histórica, não seja a via capaz de promover a transformação da sociedade brasileira a partir dos interesses dos trabalhadores, entendemos ser importante participar dos processos eleitorais, mesmo que limitados”, explicou Iasi.

Segundo ele, as eleições são um momento para colocar as denúncias e alternativas, mas as ruas e os locais de trabalho são os espaços principais de luta. “Nesta eleição, o PCB, como sempre, estará ao lado dos que lutam, dos que defendem os direitos da classe trabalhadora e manterá firme a bandeira do socialismo”, defendeu o candidato comunista.

O candidato - Nascido em 10 de fevereiro de 1960 em São Paulo, Mauro Luís Iasi é formado em história pela PUC-SP, é mestre e doutor em sociologia pela USP e atua como professor adjunto da escola de Serviço Social da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Pesquisador do NEPEM (Núcleo de Estudos e Pesquisas Marxistas), do NEP 13 de Maio e membro do Comitê Central do PCB (Partido Comunista Brasileiro).

É autor de vários livros, entre eles “O dilema de Hamlet: o ser e o não ser da consciência” (Boitempo); “Meta amor fases” (Expressão Popular) e “Ensaios Sobre Consciência e Emancipação” (Expressão Popular) e “As metamorfoses da consciência de classe: o PT entre a negação e o consentimento” (Expressão Popular).

21 Pontos iniciais de uma alternativa socialista para o Brasil

1. Construção do Poder Popular, através de organizações e assembleias em todos os locais de trabalho, localidades e regiões, no rumo de uma Constituinte Popular, livre e soberana.

2. Socialização dos principais meios de produção essenciais à garantia da vida.

3. Reforma Agrária Radical com condições de vida e trabalho para pequenos camponeses, trabalhadores rurais dos assentamentos da Reforma Agrária e iniciativas de produção agrícola socializada em grande escala, com uma nova política agrícola sustentável ecologicamente.

4. Imediata reversão das privatizações e estatização de setores estratégicos como energia, comunicação, mineração, recursos naturais, transporte e logística de distribuição e produção.

5. Política de desenvolvimento econômico, humano e ecologicamente sustentável.

6. Estatização de todo o sistema financeiro.

7. Saúde Pública e SUS 100% público, estatal e gratuito e por um país sem manicômios.

8. Educação pública, gratuita e de qualidade em todos os níveis.

9. Estatização, sob controle popular, dos transportes coletivos, para que sejam de fato públicos e gratuitos.

10. Política cultural que garanta o acesso universal aos bens culturais, com o fim do balcão de projetos; recursos e estrutura para a produção, disseminação e usufruto dos bens culturais.

11. Previdência e assistência social integralmente públicas e gratuitas.

12. Não pagamento da dívida pública.

13. Nenhum recurso público para a iniciativa privada.

14. Garantia e ampliação de todos os direitos dos trabalhadores; recomposição imediata dos salários e sua correção com ganhos reais acima da pela inflação; redução da jornada de trabalho, sem redução salarial.

15. Auditoria imediata das remessas de lucro das corporações transnacionais.

16. Fim da Polícia Militar e da criminalização da pobreza e dos movimentos populares. Por uma profunda reforma da legislação penal, buscando alternativas ao encarceramento. Contra a diminuição da maioridade penal. Pela descriminalização dos usuários de drogas hoje consideradas ilícitas.

17. Apuração e punição de todos os crimes contra os direitos humanos na ditadura e na democracia burguesa.

18. Garantia dos direitos e políticas específicas para as mulheres. Garantia do direito ao aborto.

19. Garantia dos direitos e políticas específicas para as populações indígenas.

20. Contra o racismo, o machismo, a homofobia, a xenofobia e todas as formas de preconceito.

21. Política de valorização da juventude, com programas educativos, culturais, esportivos e de integração ao trabalho.